You are hereCoexistência entre Supercondutividade e Magnetismo: um caminho para entender os Supercondutores de Alta Temperatura?

Coexistência entre Supercondutividade e Magnetismo: um caminho para entender os Supercondutores de Alta Temperatura?


By wescley - Posted on 10 abril 2012

Palestrante: 
Raimundo Rocha dos Santos
Data: 
Qua, 23/11/2011
Tipo: 
Convite à Física
Arquivo do vídeo: 
No video? Get the Windows Media Plugin

Nos últimos anos, evidências experimentais têm transformado a coexistência entre magnetismo e supercondutividade em um fenômeno mais comum do que se imaginava; pode até ser possivel que a longamente aguardada explicação para o mecanismo de supercondutividade de alta temperatura passe pela compreensão desta coexistência. Para melhor entender a importância destes fenômenos, neste seminário faremos uma revisão elementar da física de férmions fortemente correlacionados. São sistemas cujo comportamento observado tem origem na forte interação entre as partículas constituintes; isto significa que a descrição através de teorias efetivas de um corpo (como em teorias de campo médio) ou perturbativas podem falhar grosseiramente, principalmente quando a física predominante se dá em dimensões nanoscópicas. Partindo de noções elementares de estrutura eletrônica, discutiremos os sucessos e as limitações do modelo de elétrons independentes, para então discutir as consequências mais imediatas da incorporação de correlações eletrônicas. Utilizaremos como exemplos a transição metal-isolante, a supercondutividade, o magnetismo itinerante, férmions pesados, etc. Em seguida faremos uma revisão das informações experimentais sobre diversos materiais que apresentam esta coexistência, indo desde os carbetos de boro até os mais novos, as chamadas pnictitas à base de Ferro; modelos teóricos também serão apresentados. Discutiremos também como átomos fermiônicos armadilhados vêm ajudando no esforço de obter uma melhor compreensão da física de muitos corpos.