You are hereModelos da Física Estatística - Flutuações e Irreversibilidade

Modelos da Física Estatística - Flutuações e Irreversibilidade


By wescley - Posted on 10 abril 2012

Palestrante: 
Silvio R. A. Salinas
Data: 
Qua, 20/05/2009
Tipo: 
Convite à Física
Arquivo do vídeo: 
No video? Get the Windows Media Plugin

A utilização de modelos esquemáticos para ilustrar ideias e esclarecer conceitos é recurso tradicional da física estatística. Em meados do século XIX, quando a existência de moléculas e átomos era questionada, Clausius analisou o modelo simples de um ''gás de partículas''. A distribuição de velocidades do modelo foi estabelecida por Maxwell, que também sugeriu uma entidade engenhosa, capaz de acompanhar os movimentos moleculares microscópicos. Logo depois, Boltzmann obteve uma equação de movimento, propondo análogo mecânico da entropia termodinâmica, função especial que cresce com o passar do tempo. O debate em torno desses resultados está no cerne da formação conceitual da física estatística. O modelo matemático do gás de partículas, incluindo a distribuição de Maxwell e a equação de transporte de Boltzmann, transformou-se aos poucos na própria realidade física contemporânea, com aplicações variadas na ciência e na tecnologia. O demônio de Maxwell reaparece nos motores moleculares e nos limites termodinâmicos da informática. O ''modelo das urnas'', proposto por Paul e Tatiana Ehrenfest no início do século XX, ainda é uma excelente ilustração do papel das flutuações e de comportamento irreversível, antecipando-se à ''equação mestra'' dos modernos processos estocásticos.