You are hereSimulações Quânticas por Ressonância Magnética Nuclear

Simulações Quânticas por Ressonância Magnética Nuclear


By wescley - Posted on 10 abril 2012

Palestrante: 
Ivan S. Oliveira
Data: 
Qui, 30/10/2008
Tipo: 
Colóquio
Arquivo do vídeo: 
No video? Get the Windows Media Plugin

A Ressonância Magnética Nuclear (RMN) despontou no final dos anos 1990 como umas das técnicas experimentais mais promissoras para o processamento da informação quântica. Após um período de grande euforia com relação à técnica, a única até o presente a ter implementado todos os algoritmos e chaves lógicas quânticas, foi demonstrado que os estados nucleares utilizados pela RMN de amostras líquidas à temperatura ambiente, não apresentam emaranhamento, fenômeno considerado o principal recurso para os computadores quânticos. Após o intenso debate que se seguiu na literatura em torno deste problema, a RMN de líquidos à temperatura ambiente se estabeleceu como uma técnica por excelência para a implementação de simulações quânticas, devido a sua grande precisão e facilidade para gerar chaves lógicas quânticas. Neste contexto, entende-se por "simulação quântica" a implementação da dinâmica de sistemas quânticos diversos (osciladores harmônicos quânticos, condensados de Bose-Einstein, sistemas de fótons emaranhados, supercondutores BCS, cadeias atômicas, etc) nos spins nucleares. Neste Colóquio abordarei o problema do emaranhamento em RMN e discutirei exemplos de simulações quânticas com esta técnica em amostras líquidas à temperatura ambiente, incluindo a simulação de um sistema ferromagnético ordenado, com transições de fase de primeira e segunda ordem, e também a de um experimento de violação das desigualdades de Bell feito com fótons no início dos anos 1980 pelo grupo de Alain Aspect e colaboradores.